Hoje na sala dos Adolescentes durante a Escola Bíblica Dominical (EBD), um dos adolescente levantou uma questão um tanto interessante, questão essa que foi resultado de uma afirmação feita por um professor de filosofia de um desses adolescentes. A questão foi mais ou menos assim: Sócrates não deixou nada escrito, foi apenas Platão quem escreveu sobre ele, por isso alguns acreditam que Sócrates nunca existiu foi apenas fruto da mente de Platão. Da mesma forma, Jesus não escreveu nada, pessoas escreveram sobre Ele. Então, Ele nunca existiu. Isso está certo?
 
Consegue perceber a sutileza feita por um professor de filosofia aos seus alunos? A intenção é desacreditar a existência histórica de Jesus Cristo por meio de um argumento que para nós pode parecer falho, mas que para um adolescente talvez não pareça tão falho na primeira vista. Imagine um adolescente desse que não conheça tão bem a Bíblia Sagrada e semana após semana é surpreendido por afirmações deste nível que acaba colocando em dúvida sua fé em Cristo? Isso irá gerar um esfriamento e /ou um tipo de revolta contra a fé cristã, pois, ele irá crer que estava sendo enganado na igreja e que dentro na igreja não dá para se ter um conhecimento de mundo amplo, ou seja, ir para igreja nos deixa bitolados ou alienados. Antes de prosseguir, quero afirmar que nós crentes estamos muito longe de sermos alienados ou bitolados.
 
Note a importância que a EBD tem! Senhores pais fiquem atento a procurar saber o que está sendo ensinado aos seus filhos e peça sabedoria a Deus para vocês possam tirar as dúvidas dos seus filhos, para que isso seja possível é necessário conhecer as Escrituras. Fiquei feliz por essa pergunta ter sido feita e grato a Deus por ter me dado sabedoria para responde-la. Então, vamos responder. Em primeiro lugar não podemos desacreditar a existência de algum individuo por ele não ter deixado nada escrito, não existe lógica nesse raciocínio. Por exemplo, meu avô nunca escreveu um livro, aliás ele era analfabeto, mas ele ensinou muitas coisas ao meu pai e meu pai por sua vez poderia escrever uma obra sobre o que aprendeu do meu avô, vamos supor que séculos mais tarde essa obra se tornasse bastante conceituada no meio acadêmico, se alguém sugerisse a ideia de que meu avô não existiu, pois não tem nenhum escrito dele isso seria um tanto que irracional da parte dessa pessoa. Só porque não temos nenhuma obra de Sócrates isso não significa dizer que ele nunca escreveu algo, talvez ele tenha escrito algo, contudo ao longo dos séculos seus escritos se perderam. Da mesma forma, estamos muito longe de afirmar que ele nunca existiu por não existir escrito de sua autoria.
 
Quanto a Jesus Cristo, é verdade que Ele não escreveu nada, mas isso não significa dizer que Ele nunca existiu. No caso de Sócrates, Platão escreveu sobre ele. No caso de Jesus, várias pessoas escreveram sobre Ele, pessoas que foram contemporâneo a Ele, pessoas que O viram e andaram com Ele. E o que os discípulos escreveram sobre Jesus, em nada foi contraditório! Um historiador judeu, chamado Flávio Josefo, nascido em Jerusalém quatro anos após a crucificação de Jesus, ou seja, seus escritos tem a qualidade de testemunha “ocular”, a respeito de Jesus, disse: “Sobre este tempo viveu Jesus, um homem sábio, se é que podemos chama-lo de um homem. Pois ele foi o realizador de feitos extraordinários e era um professor daqueles que aceitam a verdade com prazer. Ele conquistou muitos judeus e muitos gregos. Ele era o Messias. Quando ele foi indiciado pelos principais homens entre nós e Pilatos condenou-o para ser crucificado, aqueles que tinham vindo a amá-lo originalmente não deixará de fazê-lo, pois ele lhes apareceu no terceiro dia ressuscitou, como os profetas da Divindade havia predito essas e inúmeras outras coisas maravilhosas a respeito dele, e da tribo dos cristãos, assim nomeada após ele, não desapareceu até hoje.” (Antiguidades 18:63).
 
Sabe uma coisa interessante? Flávio Josefo não era adepto ao cristianismo, contudo ele se tornou um recurso extra-bíblico confiável para a veracidade do Jesus histórico. Jesus não escreveu nenhuma obra, entretanto, Ele certamente existiu e existe até hoje, pois Ele ressuscitou dentre os mortes. Os escritores dos Evangelhos e Paulo e outros discípulos ao escrever sobre Jesus em nenhum momento tentou provar a veracidade da existência de Jesus, o objetivo deles eram outro ainda mais superior: “Estes, porém, foram escritos para que creiais que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e para que, crendo, tenhais vida em Seu nome” (João 20:31).